domingo, 28 de setembro de 2014

Capitulo 22 - Aquele sonho acabou.



´´ Cá pra nós.. Por que? Por que eu tenho que sofrer tanto assim? ´´


  Não me lembrava de nada do que aconteceu depois que fechei os olhos. A claridade do quarto estava me impedindo de abrir os olhos, não estava no mesmo quarto de antes, agora estava em um quarto diferente, sozinha, sem minha pequena Anabella ao meu lado, sem Justin aqui. O que tinha acontecido? Por que ninguém estava aqui comigo?
-Pelo visto já acordou - A Doutora disse entrando no quarto.
-Cadê minha filha? Cadê o Justin?
-Calma com as perguntas... Irei chamar o Justin. - Ela se virou sem falar sobre Anabella.
-E minha filha? Cadê minha filha?
-Justin irá explicar. - Ela saiu da sala e Justin entrou logo em seguida.
-Oi - Justin disse um pouco desanimado.
-O que aconteceu? Cadê Anabella? Que cara é essa Justin?
-Julie..Você vai ter que ser forte. - Meu coração já começou a acelerar.
-O que aconteceu? Me fala logo.
-Promete que vai ser forte? Assim como você foi quando foi para aquela boate, assim como você foi quando aconteceu todas aquelas coisas com você? - As lágrimas já escaparam, sem ao menos saber o que aconteceu.
-Fala, eu quero minha filha.
-É sobre ela mesmo.
-Fala, fala. Por favor. Eu quero vê-la, está tudo bem com ela não está? -Justin me deu um selinho, e pegou minha mão abaixando a cabeça.
-Sabe quando você apagou? - Assenti - Fizeram de tudo Julie, fizeram de tudo mas.. - Fechei meu olhos. - A pequena não resistiu Ju.. Ela já veio sem vida.
-Não, me fala que você está brincando. Isso é mentira, eu sei que é mentira. Eu te conheço Justin. Para de graça.
-Não Ju.. - Para ele me chamar de "Ju" duas vezes assim.. Era porque ele estava triste. - É verdade, Anabella não vai estar entre nós.
-Justin, não. Não - O choro vinha, e as lágrimas cainham espontaneamente. Soluçava, isso não poderia ser verdade. - Traz ela aqui. Por favor.
-Não tem como Julie.. Acredite em mim, ela morreu.. Eu sei que é difícil para você escutar isso, mais é a verdade. - Parecia que alguém estava enfiando uma faca em meus peitos. A dor que eu sentia era maior do que tudo o que eu passei, como assim o sonho que eu vim traçando por oito meses se destrói assim de repente, graça a quem? A mim que não tem força suficiente para aguentar, não tem força suficiente para deixar uma criança vir ao mundo. Eu não mereço isso, eu não mereço,
-Onde ela está? Eu quero vê-la, nem que seja um única vez. Por favor.
-Mais Julie.. Vou ver se posso traze-la aqui. - Assenti deixando mais lágrimas caírem. Justin saiu da sala com a cabeça baixa e depois de alguns minutos a doutora entrou na sala.
-Acho que já sabe de tudo não é? - Fiz que sim com a cabeça.- Está bem?
-Bem? Acordo toda animada para ver o rosto da minha filha e não posso vê-la por que? Porque ela está morta, morta.
-Calma Julie.. Não foi culpa sua, e sim nossa.
-Então porque não fizeram nada? - Disse irônica.
-Ela já acordou sem oxigênio, fizemos de tudo para que ela respirasse, mas infelizmente ela não resistiu.
-E agora não vão me deixar ver minha filha?
-Até pode.. Mais você não vai se assustar com isso?
-Eu quero minha filha. Viva ou morta aqui do meu lado. Eu quero vê-la, por pelo menos um vez. Por favor.
-Ok, vou traze-la.
 Não podia acreditar que não iria poder cuidar da minha filha como imaginava, porque tudo sempre acontece comigo? A partir desse momento, eu estava de saco cheio da minha vida. Quando escutei " Ela morreu" preferia ter ido no lugar dela, ela não tem culpa de nada, não sabe nem como era o mundo e se foi assim tão rápido? Quando vi Justin abrir a porta novamente com ela no colo, parecia que tudo era mentira, parecia que ela estava viva, respirando normalmente. Mas quando a peguei no colo, senti aquela pele gelada e pálida, olhinhos fechados, sem nenhum movimento. " Eu te amo" sussurrava para ela, mesmo sabendo que ela não ouviria.. Não pude ficar com ela por muito tempo, pois a doutora entrou na sala para ver se estava tudo bem comigo, e ela teve que levar a pequena de volta.

3 dias depois..

 Justin já tinha preparado tudo para o enterro de Anabella, e assim que sai do hospital, fomos direto ao local. Não estava preparada para ver aquele pequeno pedaço de gente que eu esperei oito meses para nascer, ficar de baixo da terra, naquela escuridão.. Eu sei que ela não sente mais nada, mas é doloroso, muito doloroso para mim.
-Tem certeza que quer ficar aqui? - Assenti - Eu vou com você para a casa. Você deve estar cansada.
-Eu quero ficar aqui Justin. Quero ver pela ultima vez minha filha. - Ele abaixou a cabeça.
-Mas eu vou com você.
-Por favor, me deixa ficar aqui.
-Ok.. - Ele colocou novamente os óculos pretos que usava.
  Depois que fecharam o caixão, o meu choro caia como a chuva, sem parar. Chorava que chegava a soluçar, não aguentei ficar para ver o final. Sai correndo e me sentei no jardim da entrada do cemitério.
-Está bem? - Senti Justin se sentar ao meu lado e me abraçar carinhosamente. Não respondi só chorava. Ele me fez deitar sobre os ombros dele. - Calma. Vai ficar tudo bem.
-Não, não vai Justin. Eu queria tanto cuidar dela, eu sonhava com isso. - Ele não respondeu. - Justin, fala pra mim que isso é mentira..
-Julie, você tem que botar uma coisa na sua cabeça: Ela não ta aqui. Ela morreu Julie. Morreu. - Olhei para ele, e ele percebeu que tinha feito besteira. Me deixou mais mal do que já tava, mas não sai dos braços dele. Ele era a pessoa que eu mais precisava no momento. -Você sabe se você quiser outra pequena que nem a Anabella, você vai ter - Olhei confusa - Se quiser, hoje mesmo.
-Você até nesses momentos pensa em sexo Justin?
-Não, só to falando, se você quiser outro bebê, eu to aqui e podemos fazer um hoje mesmo - Fiz que não com a cabeça e ri baixo - Viu, já tirei uma risada de você.
-Vamos pra casa.
-Eita, mais você quer agora?
-Sim, não aguento mais ficar aqui..
-Não to falando isso Julie..
-Justin!
 Me levantei e encontrei Pattie e Kate antes de ir para o carro, ela perguntaram se eu estava bem, falei que sim e fui para o carro. Justin não me largava um segundo, quando chegamos em casa eu fui para meu quarto e me deitei na cama, Justin também estava lá, se eu não me engano a última vez que eu vi o relógio eram 13:00 da tarde...
-Vai dormir?
-Não, vou tomar um banho pra tirar essa coisa ruim de cemitério.
-Posso ir junto?
-Só se você não for fazer gracinha.
-Isso é um pouco difícil.
-Então não.
-Eu sei que você quer Julie. -Revirei os olhos e me levantei da cama tirando minha roupa, ficando só de calcinha e sutiã. Justin me mediu de cima a baixo.
-Vai ficar ai? - Disse prendendo o cabelo. Ele levantou e me abraçou por trás. - Justin, por favor, eu  não estou bem hoje...
-Amanhã?
-Quem sabe?
-É, porque ta foda ficar sem sexo 2 meses.
-Se fecha Justin.
-Mais é verdade. - Fiz que não com a cabeça e fui até o banheiro tirando o sutiã. -Você fala que não quer mais fica me provocando.
-Não to te provocando. Eu falei que ia tomar banho.
-Mais assim não dá né.. Tu é gostosa pra caralho Julie. - Não respondi e entrei no banheiro ligando o registro da banheira. - Pelo menos vai deixar eu entrar com você na banheira? - Disse Justin entrando no banheiro só de cueca.
-Já disse, sem gracinha.
-Se eu me controlar.


Pov Justin

 4 meses depois...

 Julie estava melhor do que à um mês atrás, ela estava tão mal, tão mal quanto Anabella, que nem sair da cama ela saia. Agora, ela já está voltando ao normal, passando a acreditar que se ela quiser outro filho, ela vai ter, até sair com Megan, Kate e Sophie ela saiu!! Mas em compensação eu perdi aquelas noites maravilhosas de sexo com ela, nesses últimos seis meses, só transamos cinco vezes e em um tempo menor que uma hora - Para quem fazia sexo toda noite, quase a madrugada inteira... -
-Justin!?
-Que? - Julie entrou do nada em meu escritório com um vestido decotado, que chega, subiu um calor em mim.
-Eu vou na casa do Ryan com a Sophie ta?
-Ficar lá de vela?
-Ué.. Vai junto.
-Seria mais fácil você ficar aqui não?
-Fazendo o que?
-Você sabe...
-Safado!
-Ficamos o resto do dia trancados dentro do quarto que tal?
-Você está tão desesperado assim é?
-Claro. Não é fácil te ver assim e não fazer mais nada do que te beijar.
-E se eu não for?
-Já disse.. O dia todo trancados no quarto.
-Celulares desligados?
-Se quiser que eu desligue agora..
-Celulares desligados, trancados e sem ninguém atrapalhando?
-Certo.
-Já volto. - Ela saiu com uma cara maliciosa.

-Alô? - Número sem identificação me ligou.
-Sentiu saudade de mim? - Richard!
-O que você quer?
-Olha, descobriu quem sou eu só por uma frase?
-Até que não demorou para você sair da prisão..
-Quem disse que eu sai agora Justin?
-E só agora veio me irritar? - Ele riu
-Se prepare porque vai acontecer coisas na sua vida.
-Pronto.. Agora vai me botar medo? Olha aqui.. Eu tenho muita coisa para fazer.
-Depois não diga que eu não avisei. - Desliguei o celular antes que ele falasse mais alguma coisa.

-Estava falando com quem?
-Engano.
-Sophie já ta indo para a casa de Ryan, Meg ta no telefone com Chaz e vai ficar até altas horas,  Kate está na academia e depois vai para a casa de Pattie porque essas duas estão armando alguma coisa.. Enfim, estamos "sozinhos" em casa - Ela disse e eu estava olhando diretamente para os peitos dela. - Aqui ou no quarto? - Me levantei da cadeira e fui em direção a ela. Chegando peguei em sua cintura e comecei a beija-la. 
-Pra que andar até o quarto? - Disse, tranquei a porta do escritório e comecei a falar malicias no ouvido dela.
 Ela saiu de meus braços e foi direto para a mesa, tirou tudo o que tinha em cima e sentou na mesma, ela começou a fazer sinais para eu ir até lá. Enquanto caminhava ela foi tirando o vestido azul escuro que usava, quando cheguei ao lado dela segurei as coxas dela e vi que ela se arrepiou toda, tirei minha camiseta e ela pegou minhas mãos e fez eu passar elas pelo belo corpo que tinha, (+) apertava os peitos dela e ela soltava um risinho malicioso.



Demorei mais cheguei oo/
Vou contar para vocês porque eu demoro tanto : Eu escrevo de pouquinho em pouquinho aqui no blog, no começo da fic as minhas amigas me ajudavam e tal.. Mais agora nem se manifestam sobre isso. Dai não da pra escrever muito quando minha mãe ta em casa, pq se ela pega já viu né? E agora ela resolveu pegar folgas uma seguida da outra ai fica difícil.  
Mais eu to aqui e o próximo cap não preciso nem contar como vai ser né? :P
Cap pequeno, triste, chorei escrevendo (sim chorei mesmo!) isso não é legal de escrever :'( chorei.

Bjoooos dlçs


Amanda : Nada com a Julie, mais com a Anabella :( Continuei <3

Anna : Awwns <3 Eu também acho isso, mais não se sinta diferente por causa disso,  imagino :p. Postei :)

Ludmilla : Continuei, não é? hsuasha

Anônimo : Continuei, ai obg <3